Amigos Na Necessidade, São Amigos De Verdade: Perguntas E Respostas Com A Dra . Rasha Kelej Sobre A Resposta Da Fundação Merck Ao Covid 19 Em África.

image

View French | English Version

A pandemia do COVID-19 pode ter retardado a sua agenda, mas a Fundação Merck, sob liderança da sua PCA Rasha Kelej, continua uma parceira de desenvolvimento de confiança para a África.  Do envolvimento contínuo com as Primeiras Damas Africanas, para aumentar a conscientização e mostrar apreço aos actores da linha de frente, a Dra. Rasha Kelej esclarece a resposta da Fundação Merck ao Covid 19 em África nas seguintes perguntas e respostas. 


Com as Primeiras Damas com as quais a Vossa Excelência trabalha, que iniciativas foram lançadas em resposta ao COVID 19?

A Fundação Merck correu para responder à pandemia de Coronavirus em parceria com 18 Primeiras Damas Africanas, Ministérios da Saúde, de Informação e Educação com foco em quatro áreas principais: assistência comunitária, formação de médicos e sensibilização comunitária através dos nossos prémios de jornalismo "fique em casa" e  livro de histórias infantis.  Para fazer uma breve resenha;

1) Doações comunitárias: o bloqueio imposto na maioria dos países atingiu mais o quotidiano  dos trabalhadores e das mulheres, dificultando a sua sobrevivência.  Portanto, fizemos parceria com as Primeiras Damas Africanas da Libéria, Gana, República Democrática do Congo, Zimbábue, Níger, Serra Leoa, Malawi (ex-) e Burkina Faso para apoiar a subsistência de milhares de mulheres e famílias de trabalhadores casuais e diários mais afectados pelo bloqueio do Coronavírus (COVID -19).  A campanha de apoio também foi realizada no Egito com o objectivo de sustentar 500 famílias.

2) Desenvolvimento de capacidade de saúde do Coronavirus: Acreditamos firmemente que o desenvolvimento de capacidade profissional de saúde é a estratégia certa para melhorar o acesso a cuidados de saúde de qualidade e equitativos, especialmente durante esta pandemia viciosa, portanto, a Fundação Merck continuará fortemente os seus programas actuais de capacitação e treinamento e concentrar-se-a especialmente na  construção da capacidade de saúde do Coronavirus por meio do fornecimento de médicos africanos pós-graduados e asiáticos com um diploma online de um ano e um mestrado online de dois anos em medicina respiratória e medicina aguda numa das universidades do Reino Unido.  Este programa é feito em parceria com as Primeiras  Damas  Africanas, ministros da saúde e academia nos dois continentes.

Como parte de nossa estratégia de responder ao bloqueio do coronavírus, contemplamos mais pós-graduados médicos africanos e asiáticos para fornecer bolsas de especialização médica online.  Agora vamos nos concentrar mais nas bolsas online que serão para um diploma de um ano e um mestrado de dois anos em diversas especialidades, como: Diabetes, Medicinas Preventiva e Cardiovascular, Endocrinologia e Medicina Sexual e Reprodutiva.  Convidamos os graduados em medicina a se inscreverem nesses cursos enviando um e-mail para submit@merckfoundation.com

3) Sensibilização comunitária: Também lançamos prémios de jornalismo 'Fique em Casa' em parceria com as Primeiras Damas de Gana, Nigéria, República Democrática do Congo (RDC), Malawi (ex-), Namíbia, Níger, Guiné-Conakry, Burundi (ex-)  , República Centro-Africana (RCA), Tchade, Zimbábue, Zâmbia, Gâmbia, Libéria e Congo Brazzaville, Angola, Mali, Moçambique para os países africanos de língua inglesa, francesa, portuguesa e árabe.  Os prémios também foram anunciados para países do Oriente Médio, Ásia e em espanhol para países da América Latina.  O tema dos prémios é ‘Aumentar a Conscientização sobre como Manter-se Seguro Fisica e Mentalmente Saudáveis ​​durante o Bloqueio do Coronavírus com o objectivo de separar os factos dos mitos e equívocos’.  Os vencedores dos prémios serão anunciados em breve.

4) Sensibilização comunitária para crianças e jovens: Também lançamos um livro de histórias inspirador chamado 'Fazer a escolha certa’ em parceria com 18 Primeiras Damas  Africanas.  A história visa aumentar a conscientização sobre a prevenção do coronavírus entre crianças e jovens, pois fornece factos sobre a pandemia e como manter-se seguro e saudável durante o surto.  Também promove a honestidade, o trabalho árduo e a capacidade de fazer as escolhas certas, mesmo nos momentos mais difíceis.  A história foi divulgada em três línguas: inglês, francês e português.

Há também uma canção -My White Army (Meu Exército Branco) de um grupo de 11 artistas de 11 países africanos em três línguas;  pela primeira vez em árabe, francês e inglês.  sobre a pandemia, como surgiu essa iniciativa?

Comecei esta música com a ideia de criar uma inspiradora canção panafricana que visa agradecer aos médicos e enfermeiros que lutam na linha de frente contra o coronavírus, que arriscam a expor-se ao vírus para que todos possam ficar em casa e manter-se saudáveis.

Acredito firmemente que é importante para as pessoas na linha de frente;  médicos, enfermeiros e profissionais de saúde para saber o quão gratos somos.  Não queria que isso fosse um agradecimento único, mas sim um acto regular de gratidão em nossas comunidades.  Já ouvi histórias de comportamento horrível contra nossos trabalhadores de saúde, como, por exemplo, os senhorios estão a demiti-los à força devido à paranóia de que eles podem espalhar COVID -19.  É um comportamento chocante, ilegal e desumano ”.

Através da música My White Army, cantores representando a África expressam o nosso amor, respeito e gratidão pelos médicos, enfermeiros e profissionais de saúde, os líderes na luta contra o coronavírus.  São as suas mensagens de apoio para aqueles que enfrentam o surto para ajudar os outros.

Esta é a primeira vez que em África e quiçá no mundo que 11 cantores de 11 países africanos em três línguas participam de uma canção, para apoiar a equipa médica neste momento difícil.

O título da música - "Meu Exército Branco" simplesmente se refere à equipa de profissionais de saúde que usam uniformes brancos para nos salvar e nos defender contra a pandemia de coronavírus, que parece uma batalha para o mundo.

Que critério foi usado para escolher os 11 artistas que foram usados ​​para a música e qual foi o feedback que recebeu desde que a música foi lançada?

O critério que usei foi abordar cantores de países de língua árabe, inglesa e francesa com uma representação do leste, oeste, norte e sul da África.  Claro, abordei muitos cantores, mas selecionei aqueles que mostraram paixão e grande interesse e estavam dispostos a trabalhar nestes tempos difíceis e restrições.

Devo dizer que estou feliz com a equipa de cantores que puderam vir a bordo, mas este é o início de uma série de projectos e canções a serem feitas por diferentes países incluindo países de língua portuguesa.  Cantores de todos os países serão contactados e representados no futuro para criar canções para abordar diferentes tópicos sensíveis em África.

A 6ª edição da Luminária Merck Africa Asia aconteceu no Gana no ano passado, que souvenirs tirou do fórum e com COVID 19, quais são os planos para o próximo?

Claro que neste ano não seremos capazes de realizar a luminária na Zâmbia em outubro como foi planeado originalmente devido aos novos regulamentos da pandemia de coronavírus.  Faremos nossos fóruns online neste ano e adiaremos a luminária para 2021. Esperamos que até lá tudo esteja sob controlo.

\

Vossa Excelência foi listada no ano passado entre as 100 africanas mais influentes pela revista New African; como recebeu essa notícia?

Estou muito orgulhosa de estar listada entre as 100 africanas mais influentes de 2019. Este reconhecimento é muito importante para mim e para a Fundação Merck, pois reconhece meus esforços, os esforços da minha equipa para empoderar mulheres com infertilidade e trabalhar extensivamente na eliminação do estigma associado à infertilidade através da nossa campanha histórica 'Merck Mais do Que uma Mãe', que visa empoderar mulheres com infertilidade por meio do acesso à informação, educação e mudança de mentalidade.  Sou muito apaixonada por esta causa e adoro o meu trabalho e as minhas conquistas como mulher africana.

Por meio desse movimento, conseguimos iniciar uma mudança cultural para desestigmatizar a infertilidade em todos os níveis: melhorando a conscientização, treinando especialistas locais nas áreas de tratamento da fertilidade e em mídia, construindo advocacia  em cooperação com 18 Primeiras Damas Africanas que são as Embaixadoras  desse movimento, adoro trabalhar com elas.  E também apoiando mulheres sem filhos na criação de seus pequenos negócios.  É tudo uma questão de dar a cada mulher o respeito e a ajuda que ela merece para viver uma vida plena, com ou sem um filho.

Podemos ter uma ideia de alguma outra iniciativa ou projecto em que a Fundação Merck estarátrabalhar ao longo do ano?

Além das quatro áreas nas quais estamos nos concentramos para responder ao COVID 19. Vamos nos concentrar na educação especializada online, conforme mencionado anteriormente.  E, claro, todos os nossos prémios  que podem ser conduzidos à distância.  O foco total estará na conscientização da nossa comunidade através do nosso canal de mídia social.  Estou muito entusiasmada por termos alcançado 3 milhões de seguidores em todos os nossos canais, incluindo meus canais privados @Rasha Kelej.  Agradeço ainda a todas as plataformas de tecnologia, em contacto próximo com todos os nossos parceiros, como nossos ex alunos e novos candidatos para garantir que a Fundação Merck esteja no caminho certo para concretizar a nossa visão.

 

Clique o ícone abaixo para
 Baixar o Aplicativo Merck Foundation App


Junta-se à conversa nas plataformas da mídia social abaixo e deixe a sua voz ser ouvida

User-added image Merck Foundation

User-added image Merck Foundation

User-added image Merck Foundation

User-added image @MerckFoundation

User-added image Merck Foundation

 

 

Sobre a Merck Foundation

A Merck Foundation, criada em 2017, é o braço filantrópico da Merck KGaA Alemanha, tem como objectivo melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas e aprimorar as suas vidas através da ciência e tecnologia. Os nossos esforços estão focados principalmente na melhoria do acesso a soluções de saúde de qualidade e equitativas nas comunidades carenciadas, na construção da capacidade de saúde e pesquisa científica e no empoderamento das pessoas em STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática) com foco especial em mulheres e jovens.

Todos os comunicados de imprensa da Merck Foundation são distribuídos por e-mail ao mesmo tempo em que são disponibilizados no site da Merck Foundation. Visite www.merck-foundation.com para ler mais. Para saber mais, entre em contacto com as nossas redes sociais: Merck Foundation; Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e Flicker.